Produção de soja do Brasil em 2017/18 deve somar 118,9 milhões de toneladas

A consultoria Agroconsult projetou nesta terça-feira, 27, a colheita de soja da safra 2017/18 no Brasil em 118,9 milhões de toneladas, aumento de 3,7% ante o volume de 114,6 milhões de toneladas obtido em 2016/17. O número foi divulgado durante entrevista coletiva de apresentação dos resultados do Rally da Safra 2018, que encerrou sua etapa de soja após a avaliação de 1.110 lavouras da oleaginosa.

Segundo o sócio-diretor da consultoria, André Pessôa, a produtividade do Brasil em 2017/18 deve atingir 56,5 sacas/ha, ante 56,3 sacas/ha em 2016/17. A área estimada pela Agroconsult é de 35,1 milhões de hectares.

Mato Grosso deve alcançar novo recorde de produtividade, de 56,7 sacas/hectare, ante 55,5 sacas/hectare em 2016/17, patamar que já havia sido recorde, conforme Pessôa. A região do Mapito (Maranhão, Piauí e Tocantins) e a Bahia terão rendimentos históricos, favorecidas por um clima regular, com chuvas frequentes nos quatro Estados. A Bahia é uma das duas unidades da Federação que devem atingir o patamar de produtividade média de 60 sacas/hectare neste ano – a outra é Minas Gerais.

Já no Paraná, segundo maior produtor de soja do País, o rendimento deve chegar a 57,6 sacas/hectare, menor do que o obtido em 2016/17, de 62,2 sacas/hectare, “mas ainda assim elevado”. A única região produtora com quebra expressiva, segundo Pessôa, foi o sul do Rio Grande do Sul, que sofreu com falta de chuvas e onde o rendimento médio deve cair de 56 para 53 sacas/hectare.

“O clima não foi perfeito, mas mesmo assim teremos novo recorde de produção e produtividade de soja”, disse Pessôa, citando que em alguns locais o plantio atrasou, outras áreas tiveram algum período de irregularidade de chuva e o sul do Rio Grande do Sul teve seca. Segundo Pessôa, a questão mais importante do atual ciclo é a confirmação de um teto produtivo de soja diferente do que se tinha no passado, antes do ciclo 2016/17.

“Nosso potencial produtivo de soja mudou de patamar, mesmo com problemas climáticos pontuais. Se o clima tivesse a mesma regularidade do ano passado teríamos superado as 120 milhões de toneladas e 57 sacas por hectare na soja.”

De acordo com o sócio-diretor da Agroconsult, o maior investimento em tecnologia por pelo menos uma parte dos produtores brasileiros tem possibilitado um resultado satisfatório no campo. Um dos pontos verificados no Rally foi a adoção da tecnologia Intacta, que representou 62% das amostras coletadas, ante 53% em 2016/17. O representante da Agroconsult projetou ainda que a exportação de soja deve chegar a 72 milhões de toneladas no ano-calendário janeiro a dezembro, ante 68 milhões de toneladas em 2017.
DATA: 03.04.18

ÚLTIMAS NOTÍCIAS